5 poemas de Rafael Zacca

Rafael Zacca nasceu em 1987 e vive no Méier, Rio de Janeiro. Publicou o menor amor do mundo (7Letras) em outubro deste ano, que se soma a A estreita artéria das coisas (editora Garupa), Mini Marx (7Letras) e Mega Mao (Caju). Também oferece oficinas de criação e, sobre isso, publicou, com o coletivo Oficina Experimental de Poesia, o Almanaque Rebolado (várias editoras). É crítico, além de professor no departamento de Filosofia da puc-Rio.

* * *

minianjo cheio de esperança

todos os dias
se esconde
na casca
das bananas

espera
feito um monge
pernas cruzadas
o mel brotar

e o balé das moscas

* * *

minianjo que chora

acha muito
linda a bundinha
gorda e imóvel
da aranha
enquanto ela
gesticula

como se falasse
ao telefone
como se orientasse
o trânsito minúsculo
das bactérias
como se obcecada
em lavar
por muito muito
tempo as patinhas
antes de comer

quase vê
o rio invisível
que umedece
as patas
a teia
da aranha

minianjo
escreve na parede
nunca mais
serei o mesmo

que onda minianjo

* * *

pobre minianjo

os cupins
têm pena

de dentro
da madeira
ficam de olho
nele

pobrezinho pensam

entre livros
na estante
ele brinca
que congela
os personagens

nada de tramas
nada de mortes
assassinatos
nem amores
não correspondidos

às vezes
ele diz isso
em voz alta

sempre que alguém
lê essas vidas
acabam de novo

pobrezinho

recolhe
as asas dos cupins
no fim do dia

* * *

minianjo duvidando

chegou correndo e suado

todos perguntam logo
o que houve o que houve

estava na austrália
na grande barreira de corais da austrália

é a maior colônia
de tartarugas verdes do mundo
dava pra ver
as sessenta e quatro mil
tartarugas marinhas verdes
que se preparavam
para fazer ninho

minianjo duvidando
recupera o fôlego
e diz

gente
é muita tartaruga

* * *

eros board game

acabo de voltar
de nova risca
interior do mato grosso

no centro de nova risca
tem uma praça
e no centro da praça
um labirinto

vocês me perguntam
e é difícil chegar
ao coração
do labirinto?

é bem difícil

mas em nova risca
pintou recentemente
um senhorzinho
estraga prazeres

ele fica em cima
do muro

vocês me perguntam
ajudando as pessoas?

não

ele diz vai
pro outro lado
aí tá errado

vira pra cá
vira pra lá

é um antiminotauro
um estraga prazeres

a graça do labirinto
não é encontrar
o coração
a graça
é tu sofrer

eros tem um machado
e a paciência
muito curta