Maria Lúcia Alvim lê dois poemas de “Batendo pasto”

Depois de quarenta anos sem lançar poemas inéditos em livro, Maria Lúcia Alvim (1932—) publicou este ano Batendo pasto, livro composto em 1982, que estava sob a guarda de Paulo Henriques Britto. O livro saiu pela Relicário Edições com paratextos de Britto, Ricardo Domeneck e Guilherme Gontijo Flores. Aqui apresentamos duas filmagens em que Maria Lúcia lê poemas do livro, em filmagens e foto feitas por Luciana Oliveira Dias, a quem agradecemos.

escamandro

* * *

Manhã sem rusga
pequeno depósito de agrura na poça
exorbitei de alegria
a abóbada celeste não dá vazão
silos de silêncio
ó ser astral
o capim é minha grande reserva interior
a esperança
desleixo

§

Pousa

ó pombo

que me conheces a fundo!

Speak to me

Stay with me

Speak