maria – guilherme gontijo flores

ntanas sutkus - maratona na universidade, 1959

MARIA

o poeta canta concretos
e paralelepípidos e sonetos
            mas eu –
            eu carne-só
homem em cada parte –
peço apenas por teu corpo
como cristãos rezam hereges
            o pão nosso de cada dia

guilherme gontijo flores