carioqueida – vinicius ferreira barth

Carioqueida foi um poema escrito por inspiração simultânea de duas fontes: a Eneida de Virgílio e o malandrismo carioquês, infundido pelo Bernardo e bastante corrente em nosso grupo como filosofia composicional. Talvez uma releitura de colarinho da épica, uma Dido de mini-saia, um Enéias de bronze, de chopp e de malícia.
É meu costume homenagear os colegas com meus trabalhos, utilizando mecanismos, estilos e pensamentos em modo de emulação, fazendo uma mistura da minha própria dicção com a dicção dos outros. A imitação/emulação é uma das minhas técnicas preferidas. Nesse caso, o poema foi dedicado exatamente ao Bernardo Brandão.

malandro

malandro que é malandro
                perde a mulher na esquina
                acha outra
                                 e chama de princesa

mas quando o bicho pega
                 cai fora          (per            sua            dido?)
                          dizendo que Deus mandou

malandro, maluco
                era o Enéias:
                          comia (escon)dido na gruta
                          não sabia velejar
                          caía na praia
                          e ainda tirava uma onda


Vinicius Ferreira Barth