Do horror – adriano scandolara

– a H. P. Lovecraft

Só, mas ao lado
de uma mulher de raça odiada,
alguém não conseguia dormir
atormentado em New England,
seu universo repleto de monstros.
A solidão do deserto à noite
e a superfície dos discos voadores
sempre tão
estranhamente espelhada.

Línguas humanas podem apenas esboçar
o nome de Cthulhu
seus movimentos
evocam maiores
horrores com maior
facilidade:
                Auschwitz
não precisava de geometria
não-euclidiana,
bastavam valas e distintivos.

Adriano Scandolara